mercredi 17 décembre 2008

Continuamente me estranho



Não sei quantas almas tenho.
Cada momento mudei.
Continuamente me estranho.
Nunca me vi nem achei.
De tanto ser, só tenho alma.
Quem tem alma não tem calma.
Quem vê é só o que vê,
Quem sente não é quem é,

Atento ao que sou e vejo,
Torno-me eles e não eu.
Cada meu sonho ou desejo
É do que nasce e não meu.
Sou minha própria paisagem,
Assisto à minha passagem,
Diverso, móbil e só,
Não sei sentir-me onde estou.

Por isso, alheio, vou lendo
Como páginas, meu ser.
O que segue não prevendo,
O que passou a esquecer.
Noto à margem do que li
O que julguei que senti.
Releio e digo: "Fui eu?"
Deus sabe, porque o escreveu.

Fernando Pessoa


7 commentaires:

swiss Barbudos a dit…
Ce commentaire a été supprimé par l'auteur.
swiss Barbudos a dit…

feliz aniversário / parabéns ;)

Parabens a você
Nesta data querida
muitas felicidades
muitos anos de vida

Hoje é dia de festa
Cantam as nossas almas
Para a menina EEEEELSAAAAAAAAAA!!! ;D
Uma salva de palmas

Elsa a dit…

merci merci :)

l'inconnu a dit…

Bon anniversaire, hérisson :)

schlum a dit…

Bon annif' !

Magnum a dit…

N'anniv ! :-) ;-)

Elsa a dit…

merci merci merci :)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...